Campanha de prevenção à doença renal será dia 30 com atendimnetos gratuitos à população


 Seg, 23 de Março de 2009 18:56

A doença renal crônica atinge quase 500 pessoas no estado de Rondônia. Em Cacoal, 15 pacientes fazem o tratamento com hemodiálise em Ji-Paraná, município que oferece o serviço. Porém, a doença ainda é pouco conhecida de grande parte da população, e há necessidade de informar sobre sintomas e principalmente medidas preventivas. Por isso, no próximo dia 30 de março, vai acontecer a Segunda Campanha ‘Previna-se’, na praça da Igreja Matriz, das 8 horas às 13 horas. As atividades serão coordenadas pela médica nefrologista Concepcion Delgado (Especialista em rim), em parceria com estudantes e professores da Faculdade de Ciências Médicas de Cacoal (Facimed),com atendimentos gratuitos à população. Prevenção: Entre as atividades preventivas será feito o controle da pressão arterial, teste de glicemia, além de solicitação de exames de urina e creatinina, que servem para detectar como está o funcionamento dos rins. Segundo a médica, algumas doenças podem causar a Doença Renal Crônica (DRC). Pacientes diabéticos, hipertensos, que tem cálculo renal, infecção urinária e pedras nos rins ou que tenham histórico de problemas renais na família, podem desenvolver a doença. Por isso a prevenção ainda é a melhor forma de evitar a DRC, e para isso é necessário informação. Tratamento: O tratamento dos pacientes renais crônicos é bastante caro para o governo, além de causar transtornos ao paciente. A hemodiálise, uma espécie de filtragem do sangue, é feita de três vezes por semana. O paciente passa entre três e quatro horas sentado, e alguns tem que se deslocar para outros municípios para fazerem o tratamento. Além disso, conforme a médica há outros agravantes na saúde o paciente: “O paciente renal geralmente tem anemia, com isso o tratamento é subsidiado pelo SUS. Muitos são diabéticos ou hipertensos, então são três doenças crônicas, e o paciente é imunodeprimido, ou seja tem a sua imunidade diminuída”, explicou Concepcion. Estas condições o deixam mais vulnerável a doenças virais, bacterianas e fúngicas, o que pode agravar ainda mais o quadro.

 SAIBA MAIS SOBRE A DOENÇA RENAL CRÔNICA:

 A Doença Renal Crônica compromete o funcionamento dos rins, que deixam de funcionar, o que se chama insuficiência renal crônica. Neste caso o tratamento é feito com hemodiálise ou transplante de rins. Conforme dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), m todo o mundo estima-se que haja 1,5 milhão de pessoas vivendo às custas de hemodiálise ou transplantadas. No Brasil, segundo dados de 2006, há 2 milhões de pessoas portadoras da DRC, sendo que 60% deste total sequer sabem que tem a doença. Há mais de 70 mil pacientes em diálise, e outros 25 mil transplantados. Os gastos do governo com estes pacientes chega a R$ 2 bilhões ao ano, e corresponde a 10% de toda verba destinada a hospitais, clínicas, médicos e remédios. Assim, é importante que a doenças dos rins sejam diagnosticadas e tratadas no início para não ser necessária diálise ou transplante no futuro.

Fonte: Diário da Amazônia

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: